sábado, 4 de dezembro de 2010 | 1 comentários | By: BestOfFutebol

Antevisão Porto - Setubal

André Villas-Boas já esqueceu a vitória em Viena. A sua concentração já está totalmente focalizada no confronto de segunda-feira frente ao V. Setúbal no Dragão. E já avisou os seus jogadores que pela frente vão ter uma equipa que pratica “um futebol direto, agressivo, longo e com profundidade”.

“O Vitória de Setúbal vem de uma série infeliz em termos de resultados, apesar do triunfo na Madeira para a Taça de Portugal, mas é uma equipa muito competitiva”, reconheceu André Villas-Boas, considerando ainda que a formação liderada por Manuel Fernandes “foi infeliz” frente à Académica, equipa que considera, para já, a revelação da época.

O treinador portista refere mesmo que conquistando três pontos, a equipa sadina pode saltar para o meio da tabela classificativa da Liga. Mas não pretende que tal aconteça no Dragão. Villas-Boas pretende continuar a somar vitórias, manter a invencibilidade e materializar o objectivo definido internamente, que é chegar até ao fim do ano sem derrotas. “Queremos continuar invencíveis até ao máximo possível e o objectivo interno é, até à paragem de Dezembro, nas várias frentes competitivas: campeonato, Taça de Portugal e Liga Europa”, explicou, que espera que os seus jogadores mantenham, na alternância entre as várias competições, os índices de competitividade que já demonstrou.

Deixe-nos a sua opinião sobre este assunto, na parte inferior deste artigo...

“Em Viena, a equipa assumiu um compromisso total com o jogo, que, dada a sua envolvência, era muito importante”, disse André Villas-Boas, destacando a atitude de todos e chamando a atenção para os três golos de Falcao. E acredita que o desgaste de Viena “não se fará sentir na equipa”, que dispõem de “dias suficientes de recuperação”, apesar de “algo machucada” e das baixas anunciadas de Beto e Varela.




O treinador do FC Porto, André Villas-Boas, considerou este sábado de “ridícula” a nota positiva do árbitro Jorge de Sousa no clássico com o Sporting, da 12.ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

“Como é que alguém pode ter nota positiva com uma exibição tão má e com influência no resultado. Roça o ridículo. E a pessoa que a atribui devia ter mais bom senso e critério”, defendeu André Villas-Boas.

O treinador falava durante a conferência de imprensa de apresentação do jogo de segunda-feira com o Vitória de Setúbal, no Dragão, referente à 13.ª jornada e para o qual não se sentará no banco por castigo.


André Villas-Boas foi expulso por Jorge de Sousa no clássico de Alvalade, que terminou com um empate 1-1, e foi castigado com 10 dias de suspensão, pelo que falhará o encontro com a formação sadina.

Villas-Boas sustenta que a exibição de Jorge de Sousa “teve influência no resultado” e considera que a pessoa que o avaliou de forma positiva “devia ir para casa, rever o jogo e pensar no que está a fazer”.

A ausência do banco foi minimizada pelo treinador, que não escondeu o seu “desgosto enorme por não participar activamente no jogo”, dentro do rectângulo da área técnica por si usado “para fazer exercício físico”, gracejou.

“Essa responsabilidade [orientar a equipa[ está entregue à minha equipa técnica e sentimo-nos confortáveis. A comunicação é permitida e estamos todos em sintonia para colmatar a minha ausência”, disse.

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



Leia Mais…

Antevisão: Portimonense vs Sporting


O treinador do Sporting, Paulo Sérgio, quer a sua equipa atenta às transições ofensivas da equipa do Portimonense, referindo que a classificação não espelha a qualidade do adversário.

“É um adversário difícil, com uma situação classificativa que não espelha a qualidade da equipa. É das mais perigosas em transição ofensiva, executa muito bem o contra ataque, com avançados velozes e com bom índice técnico, que tem desperdiçado muitos golos. Não vai ser tarefa fácil, preparamo-nos para esta característica do nosso adversário e estamos optimistas, motivados e conscientes do que nos espera no Algarve”, afirmou.

Paulo Sérgio, que não revelou o onze que vai utilizar, defendeu que os jogadores têm que ter “empenhamento máximo” em todas as partidas e garantiu que o campeonato ainda é o principal objectivo da equipa. “Não começamos a prova com regularidade, mas quem nos garante que o que nos aconteceu a nós não irá acontecer aos outros. Temos que nos manter empenhados em melhorar e concentrados no objectivo imediato, que se chama Portimonense”, salientou.


O técnico considerou também que não é justa a análise de que a equipa fez uma exibição menos conseguida com o Lille, destacando a qualidade do adversário, salientando que todos os treinadores querem vencer e jogar bem. “Não há nenhum treinador que não queira aliar bons resultados a boas exibições. Mas se pergunta a todos eles não há nenhum que lhe diga que prefere jogar bem e perder do que ganhar e jogar menos bem”, referiu.



Sobre os reforços que chegaram este ano ao clube, o treinador defendeu que “têm crescido e evoluído”, manifestando confiança que “quando forem chamados vão dar melhor resposta e vão mostrar o porque de estarem no Sporting”. Paulo Sérgio debruçou-se, em concreto, sobre o rendimento de Maniche: “Tem sido um elemento muito válido, no qual confiamos e precisamos da sua experiência e qualidade futebolística. Sabemos que já cometeu erros de alguma gravidade, que não queremos ver repetidos, mas a sua qualidade é inegável”, disse.

Em relação à reabertura do mercado de transferências, o técnico recusou fazer qualquer comentário, referindo que o seu objectivo é “potenciar”, os jogadores do actual plantel. “Não estou desesperado na busca de reforços. Seria fácil identificar situações que queríamos ver melhoradas, que foram faladas no início da temporada, mas não vou falar mais sobre isso. O Costinha falou, está falado. O que me interessa é potenciar o que nós temos”, concluiu.

Deixe-nos a sua opinião sobre este assunto, na parte inferior deste artigo...

O regresso de Matias Fernández é a principal novidade na lista de convocados do para o jogo com o Portimonense, da 13.ª jornada da Liga. O internacional chileno, que se lesionou no jogo com o Rio Ave, já está recuperado e regressa ao lote de convocados, tal como Abel, que falhou o jogo com o FC Porto, por opção, e a partida frente ao Lille, devido a castigo.

Em relação à última convocatória ficam de fora por opção Diogo Salomão e Cedric, com o guarda-redes Timo Hildebrand a ser chamado para o lugar de Tiago. De fora ficam também Grimi, ainda lesionado, Izmailov, que é um caso entregue ao departamento jurídico do clube, e Tales por opção.

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco


Leia Mais…
sexta-feira, 3 de dezembro de 2010 | 1 comentários | By: BestOfFutebol

Benfica vs Olhanense 2-0

Novo maestro, mas muito menos música, no regresso do Benfica à Luz. Jorge Jesus trocou Carlos Martins por Aimar, mas a orquestra não acompanhou o argentino e a exibição encarnada foi muito menos colorida que a de Aveiro com o Beira Mar. A vantagem, ao descanso, também era magra, mas, diga-se, não se justificava mais para quem tão pouco fez. O segundo tempo trouxe mais um golo, mas o que fez foi confirmar a exibição pálida dos campeões nacionais.

O Olhanense apresentou-se perigoso nos momentos iniciais na Luz. A equipa vinha de cinco jogos sem ganhar e queria inverter a tendência. Primeiro Roberto não deixou, depois o Tacuara Cardozo resolveu e entrou directamente para a História do Benfica, com a ajuda grande de Moretto. No dia em que regressou à Luz, o guarda-redes foi pouco feliz. Talvez nas bancadas poucos o estranhassem, de facto, porque o brasileiro nunca foi consensual por estas bandas.

Pouco consensual foi (ainda é?) também Roberto, que brilhou em lance na cara de Carlos Fernandes e depois a livre de Jorge Gonçalves. O «portero» segurava o nulo; o ritmo que o Benfica metia no encontro também. Não havia desequilíbrios de Coentrão, não havia ligação de Saviola com Aimar, e ora havia Gaitán, ora não. O que havia era David Luiz na defesa, a segurar o que de bom o Olhanense construía. O primeiro tempo terminou com 1-0 no marcador, mas o destaque na Luz era o pouco público, que não se cansou de apoiar uma equipa que tinha menos jogo que aquele que lhe é exigível.


1ª Parte:


Dados iniciais do segundo tempo: Carlos Martins entrou para o lugar de Gaitán e Paulo Sérgio marcou. O camisola 23 do Olhanense sorria, sorria e sorria de alegria, mas a bola já se jogava no meio-campo algarvio, porque o golo fora anulado. E bem, porque Paulo Sérgio tinha o corpo à frente da defesa encarnada. O Benfica tremeu nesse instante. O poste do Olhanense estremeceria depois.

Deixe-nos a sua opinião sobre este assunto, na parte inferior deste artigo...

Moretto não voltou a errar e defendeu um livre de Martins, que foi muito melhor que Gaitán; depois entrou Salvio para o lugar de Aimar e, minuto seguinte, o pé esquerdo de Cardozo fazia o poste direito de Moretto tremer. Apesar disso, de um lance de perigo, o encontro era pouco interessante, tão frio como o ar.

Parece um paradoxo, mas nesta noite não foi. Quando saiu Aimar, apareceu Saviola. O dez do Benfica tinha tentado puxar a equipa para a frente no primeiro tempo e o compatriota nunca o acompanhou; quando Aimar saiu, Martins pegou na batuta e El Conejo surgiu a tabelar com Salvio, com Coentrão, com Cardozo, naquele estilo de jogo que lhe é habitual.

2ª Parte:

O que também é comum é o pequeno camisola 30 esconder-se ao segundo poste para marcar. Foi o que fez no 2-0, ao aproveitar um desvio de cabeça de David Luiz. Jogo resolvido na diferença de dois golos, encontro jogado nos serviços mínimos e pensamento no Schalke, esse sim, decisivo para continuar na Europa. Em suma, o Benfica cumpriu, numa partida que ficará marcada pelo golo de Cardozo, que iguala Mats Magnusson como o maior goleador estrangeiro do clube.

Não perca esta Terça Feira a nova crónica Semanal, destinada ao Benfica, feita pelo nosso amigo Benfica Sempre

Jorge Jesus:
«Tivemos algumas dificuldades, o Olhanense foi muito forte do ponto de vista defensivo. Tivemos dificuldades para entrar na última linha, mas pouco a pouco fomos subindo no terreno e ganhar espaços. É o sexto jogo consecutivo sem sofrer golos em casa, para o campeonato. O resultado é melhor que a exibição. Jogadores como o Pablo (Aimar) não apareceram tão bem como o habitual. As vitórias é que nos moralizam. Gaitán? Ele estava com uma dor na parte posterior da coxa, não entrou tão bem como normalmente.»



Sobre a distância para o F.C. Porto: «Queremos colocar pressão, não podemos falhar e temos de jogar sempre para os três pontos, esperando que o nosso adversário os perca.

Daúto Faquirá:
«Estava a ser um jogo equilibrado, a nossa estratégia estava a surtir efeito, o Benfica não tinha espaços e o Olhanense esteve muito bem organizado sem se remeter a defender. Penso até que as situações de maior perigo foram nossas. Sofrer um golo daquela forma, no fim da primeira parte, foi penalizante, mas foi um momento do jogo, acontece. Mas na segunda parte a equipa voltou ao jogo como pretendia, não nos desequilibrámos. Foi um jogo equilibrado que acabou decidido nos detalhes.»



[Se o resultado foi justo] «Os resultados são sempre justos, quando o Benfica fez dois golos e nós não. Acabou por merecer ganhar. Tivemos várias oportunidades para marcar, podíamos ter ido para intervalo com outro resultado, na segunda parte chegámos perto da baliza do Benfica, mas não conseguimos marcar. Para mim ficou a certeza de que o Olhanense vai fazer um campeonato bonito.»



Texto: maisfutebol

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



Leia Mais…

E o Mundial 2018 vai para: RÚSSIA!


A fase final do Campeonato do Mundo de 2018 vai decorrer na Rússia. A candidatura ibérica, com Portugal e Espanha, a inglesa e a organização conjunta Bélgica/Holanda foram as derrotadas na votação do Comité Executivo realizada esta quinta-feira.

Portugal soube hoje pelas 15h (Hora Portuguesa) o veredicto final quanto à candidatura conjunta com a Espanha para receber o Mundial de 2018, à entrada, os maiores nomes do Futebol Ibérico estavam optimistas, mas também apreensivos, juntamente com Portugal, corriam nomes como Rússia e Inglaterra.

Ora, o que podemos perceber destas declarações, ambas as Federações estariam optimistas mas também apreensivas, a favor da candidatura Ibérica, estaria o facto de a Espanha já ter organizado um World Cup e um Europeu, seria também a selecção actual campeã do Mundo e da Europa. O facto de Portugal ter organizado em 2004 aquele que é considerado um dos Europeus mais bem organizados de sempre, sem falhas de segurança e com boas acessibilidades também seria um Ponto Positivo a favor da candidatura Ibérica.



Os factores contra baseavam-se no poder económico, de facto a candidatura mais forte era a candidatura Russa, primeiro pela Potência Mundial a que esta representa actualmente, segundo porque foi a candidatura a que mais se comprometeu a investir neste mundial, num total de 10 Estádios totalmente novos e com a remodelação de outros 3, terceiro porque a Rússia nunca antes tinha tido a oportunidade de receber um evento desta escala e por fim, a aposta recente da FIFA em diversificar os locais onde o Mundial é organizado (Japão / Coreia 2002, África do Sul 2010, Rio de Janeiro 2014), fariam crer que a Rússia era mesmo a candidatura favorita à vitória.


A candidatura Inglesa seria também igualmente forte, porque é um país importante na economia Mundial e Europeia, por ser o país onde o "Futebol foi criado", teria também condições para organizar de novo um Mundial, porém, à última da hora esta mesma candidatura perdeu força, com a renúncia ao cargo de David Triesman, responsável pela candidatura Britânica, depois de terem sido divulgadas escutas em que o Inglês afirmava que a Espanha teria pedido ajuda à Rússia para subornar Árbitros no passado World Cup de 2010, o escândalo rebentou e abanou a estrutura da candidatura.

Também a candidatura Ibérica foi alvo de polémica neste capítulo, notícias davam conta de um acordo não oficial entre as organizações da candidatura Ibérica e do Qatar para as organizações de 2018 e 2022 consecutivamente, na mesma semana em que o vice-Presidente da FIFA Reynald Temarii mais Amos Adamu foram suspensos e condenados a uma multa por tentativa de intervenção directa nos votos das candidaturas. Um pouco de polémica que só mostra do que estas matérias são feitas: Cifrões! E aos Milhões.

Ora, posto isto, as candidaturas vencedoras, foram a Rússia para 2018 e Qatar para 2022, se a vitória Russa não surpreende, já a do Qatar era tida à partida como uma das mais fracas num grupo que era constituído pelos Estados Unidos e a Austrália, sendo o Qatar um país que não garantirá, pelo menos por agora, as condições mínimas necessárias para o Evento mais importante do Futebol Mundial, mais uma vez, prevaleceu o poder económico e a diversificação do evento.


Ora, pessoalmente eu sou a favor do Investimento Público, desde que ele se torne uma mais-valia para o País, assim sendo, sou assumidamente contra o TGV, provavelmente alguns dos queridos leitores estão neste momento a chamar-me retrógrada, mas a questão é pura e simplesmente esta: Será que a relação custo-benefício de um transporte de alta velocidade em Portugal é compensatória? E se nós pegássemos nos vários milhões de Euros que vamos gastar no TGV e aplicássemos em novas acessibilidades nas áreas desertificadas do país que tanto nos podiam dar e são mal aproveitadas?

Novas estradas, novos edifícios de utilidade pública, apoio à descentralização das pequenas-médias empresas beneficiando estas na carga tributária pesada que a Lei de hoje nos obriga caso estas se espalhassem para as chamadas "areas desertas"; Apoio à agricultura e à Agro-Pecuária do país que neste momento tanto precisa, visto que cada vez mais importamos produtos de fora em que somos melhores a produzir, todo este dinheiro poderia ser gasto nisto, seria muito mais bem aplicado, e a longo prazo teríamos muito mais resultados do que "um comboio para viajar mais rápido, em que uma viagem é infinitamente mais cara que uma viagem de avião!".

Agora, em relação a esta candidatura, já a minha opinião é diferente, isto porque não existe a necessidade de se construir novas infra-estruturas, sendo que o prestígio Mundial que esta prova traria a Portugal e Espanha seria um valor bastante importante para o reforço da nossa economia, portanto, eu seria a favor! A FIFA decidiu-se pela Rússia, resta-nos desejar a melhor sorte na Organização e que a Selecção Portuguesa esteja lá em 2018 para experimentar os estádios novinhos em folha!

Fica para a historia uma candidatura que poderia ser o primeiro passo, para mais unificações entre Portugal e Espanha, principalmente numa altura que se fala com mais intensidade numa liga Ibérica.

Para mais tarde Recordar:


Texto de: Hugo Pinto (BestOfFutebol)

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco


Leia Mais…
quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 | 5 comentários | By: BestOfFutebol

Rapid Viena vs Porto: 1-3

O F.C. Porto garantiu o primeiro lugar do Grupo L da Liga Europa, ao vencer no reduto do Rapid de Viena (1-3). No regresso ao Estádio Ernst Happel, com os campeões europeus de 1987 nas bancadas, foi Falcao a voar mais alto, garantindo uma reviravolta à imagem daquela final, então frente ao poderoso Bayern de Munique.

André Villas-Boas preparou quatro alterações para a visita ao Rapid de Viena. O ataque permaneceu imutável, com Varela e Hulk no apoio a Falcao. Beto surgiria na baliza, Fucile e Otamendi na defesa, Ruben Micael a meio-campo. Contudo, a lesão do guarda-redes no aquecimento recuperou Helton para o onze.

O F.C. Porto entrava em campo com o apuramento garantido. Pela primeira vez, apresentava-se como única equipa europeia sem derrotas. Um registo a manter enquanto possível. Por outro lado, Villas-Boas recordou a importância de segurar o primeiro lugar, ainda ameaçado pelo Besiktas.

O plano de jogo dos dragões foi alterado rapidamente, face às condições climatéricas. Beto lesionou-se ainda no aquecimento, Fernando aguentou apenas 16 minutos. O médio defensivo, que regressou à competição no clássico, sofreu uma entrada dura e acabou por sair, a coxear. Entrou, e entrou bem, Guarín.


O médio colombiano posicionou-se à frente da defensiva azul e branca, numa altura em que o F.C. Porto começava a dominar territorialmente o jogo. Guarín contribuiu para esse ascendente, vendo a sua equipa criar algumas oportunidades de golo. Antes, Saurer ainda fez a bola raspar no poste azul e branco.

Em dez minutos, entre os 25 e os 35, os adeptos portistas animaram-se com a perspectiva de golo. Porém, o mesmo viria a surgir na baliza contrária, neste caso à guarda de Hélton. O Rapid aproveitou um desvio de cabeça de Otamendi, deixando o infeliz brasileiro de fora da jogada. Trimmel, em antecipação a Fucile, marcou.

O F.C. Porto respondeu sem demora. Varela, desmarcado por Hulk, perdeu uma oportunidade soberana. Logo depois, Soma falhou a intercepção a lançamento longo de Otamendi e Falcao aproveitou. O colombiano soube contornar as peculiaridades do relvado e atirar a contar. Ao intervalo, tudo nivelado.

1ª Parte:

Villas-Boas tentou alterar o rumo das coisas ao intervalo e em certa parte proteger a equipa deixando de fora Varela, que vem recuperando de uma lesão e fazendo entrar Ukra, uma pedra que tem sido menos utilizada na equipa Portista.

A verdade é que o FC Porto continuou a sentir muitas dificuldades em adaptar-se ao terreno, o volume de neve que o campo acumulava fazia com que a bola rolasse demais em certas partes do campo e prendesse noutras, o que torna muito difícil fazer as trocas de bola e a circulação que caracteriza a equipa dos dragões. O Rapid sentia-se como peixe na água, habituado que está a jogar nestas condições, condições essas que atenuavam a notória diferença de qualidade entre as duas equipas.

A circulação de jogo estava complicada, o futebol dos Austríacos caracterizava-se por contra-ataques fortes e aguerridos, enquanto que o Porto tentava como podia fazer rolar a bola, ainda que com isso tenha sofrido alguns dissabores com perdas de bola a meio campo que se transformavam em contra-ataques rápidos e venenosos.

Deixe-nos a sua opinião sobre este assunto, na parte inferior deste artigo...

Aos 60m soava o alarme, no jogo do Besiktas-CSKA Sófia os turcos passavam para a frente do marcador e agora a realidade era outra: O FC Porto necessitava de ganhar para garantir o primeiro lugar no grupo, ou apostar tudo no último jogo em casa. Foi a pensar nisso que aos 72m Villas-Boas retira Rúben Micael e aposta em Fernando Belluschi e nestes minutos o Porto melhora substancialmente.

2ª Parte:

O que se seguiu foi uma serie sequencial de ataques dos Dragões, primeiro aos 78'm Moutinho cruza a bola rasteira para o centro recuado da grande área onde aparece o remate de Rolando que acerta num defesa quando o Português se preparava já para festejar, aos 79' pediu-se penalti com mão na bola de Patocka dentro da área e finalmente aos 85m, com o jogo quase a terminar, Hulk passa por um defesa no lado esquerdo, cruza tenso e Hedl, o guarda redes austríaco não segura a bola à primeira permitindo que "El Tigre" Falcao faça pela segunda vez o gosto ao pé, estava dada a volta ao marcador num resultado que fazia de lembrar a final de 1987 em que o FC Porto venceu o Bayern neste mesmo estádio pelo mesmo resultado.

Quando todos já lembravam com nostalgia a coincidência do resultado, a dupla atacante do FC Porto decide que afinal os tempos são outros, assim como as equipas, decorria o minuto 88m, quando Hulk desfere um potente remate para o centro da baliza com efeito a fugir do alcance do guarde-redes, Hedl, com muito esforço defende para a frente, mas quando isso acontece numa zona onde o temível "El Tigre" comanda, pode ser um grande erro...Falcao aproveitou mais uma vez, com uma finalização sublime, fazendo um Hat-Trick, confirmando a vitória no jogo e o primeiro lugar na Liga Europa.

Veja as fotos do jogo Aqui

CONCLUSÃO:
Foi um jogo difícil, não propriamente pela equipa de Viena mas pelas condições atmosféricas, a neve que se fazia sentir era difícil para qualquer jogador, principalmente para as equipas em que jogar na neve é algo fora do normal como é o caso do FC Porto, num campo saudoso para todos os adeptos Portistas, principalmente para aqueles que tiveram oportunidade de viver a épica final de 1987, onde se fazia história pela primeira vez: uma equipa desconhecida de Portugal vencia o Todo-Poderoso Bayern com um golo de calcanhar que ficará para a história, foi o ano de confirmação para o clube e o ano que os Portistas, principalmente os mais velhos viverão sempre com emoção e carinho.

Quanto à actualidade, FC Porto garantiu o primeiro lugar do grupo permitindo assim que possa poupar alguns jogadores na última ronda da fase de grupos e dar minutos aos jogadores menos utilizados sem que isso comprometa a segurança da equipa, o FC Porto soma e segue na Europa, esta crónica continua nos próximos episódios...!

Texto 2ª Parte: Hugo Pinto (BestOfFutebol)

Apoio dos Super Dragões em Viena:


Villas Boas:
André Villas-Boas, treinador do F.C. Porto, após a vitória sobre o Rapid, em Viena, e que apurou a equipa para os 16 avos-de-final da Liga Europa, com a liderança no Grupo L:

«Não brincamos com as competições. É um dia histórico pela exibição, pelo resultado e pelo significado que tem este estádio para nós. É uma exibição para nunca mais esquecer. A equipa jogou no limite do risco físico, mas o grande desempenho e capacidade de concentração ajuda no evitar das lesões. Com a neve que estava e fazer a exibição que nós fizemos não há criticismos. Hoje não é um dia para criticar, é um dia para louvar.»




João Moutinho:
«O objectivo era ficar no primeiro lugar. Garantimos esta noite a vitória, num jogo com condições climatéricas muito adversas. Nunca iremos tirar o pé, jogamos sempre para ganhar.»




Falcao:
«Foi uma vitória importante com factores climáticos difíceis, mas conseguimos fazer o nosso jogo. É difícil jogar nestas condições, mas os jogadores do F.C. Porto têm muita qualidade e conseguimos superar este obstáculo. Jogámos com a bola controlada, fizemos muitos remates à baliza e conseguimos os golos suficientes para a vitória.»











Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



Leia Mais…
quarta-feira, 1 de dezembro de 2010 | 1 comentários | By: BestOfFutebol

Antevisão: Rapid Viena vs Porto

O treinador do FC Porto quer garantir o “mais depressa possível” o primeiro lugar do Grupo L da Liga Europa e espera consegui-lo já na quinta-feira, em Viena, após o jogo com o Rapid.

Na antevisão ao jogo da quinta jornada, já em Viena, Villas-Boas disse que o FC Porto quer estar mais “confortável na partida com o CSKA de Sofia”, no Dragão, a 15 de Dezembro, encontro que fecha a fase de grupos.

Já apurado para os 16 avos-de-final, o FC Porto soma dez pontos, mais três do que os turcos do Besiktas e sete do que Rapid e CSKA. “É um jogo importante, porque queremos garantir o primeiro lugar neste grupo o mais depressa possível. Temos esse objectivo em mente”, disse.

Suspenso por um jogo na Liga portuguesa, na sequência da expulsão no Estádio de Alvalade, André Villas-Boas disse que continuará a ficar surpreendido sempre que for castigado, pois dirige-se “aos árbitros de forma educada”.


Sobre a ausência do brasileiro Walter - convocado, mas que não seguiu viagem para a Áustria -, Villas-Boas disse ter-se tratado de uma “opção técnica”.

Ruben Micael, apontado ao “onze” inicial, disse não temer a neve e o frio que assinalam o quotidiano de Viena, até porque o FC Porto “já mostrou ser capaz de bons jogos, mesmo em más condições”, como aconteceu em Coimbra, para a Liga.


O encontro entre o FC Porto e o Rapid de Viena disputa-se a partir das 18h00 (SP-TV1) no Estádio Ernst Happel, em Viena, “palco” do triunfo portista na final da Taça dos Campeões Europeus, em 1987, então com a denominação de Estádio do Prater.

Peter Pacult (Treinador Rapid Viena):
Em conferência de imprensa, Peter Pacult considera que a equipa portista pode ter sido surpreendida pela neve que cobre Viena, mas salienta a qualidade do adversário. «Talvez tenham ficado surpreendidos ao chegarem de avião e verem a neve. Mas esta equipa é um mini-Barcelona, uma equipa tão forte que não se desmazela com as condições externas. Nem são arrogantes, são uma força profissional», elogia o técnico do Rapid.




Na quinta-feira, o F.C. Porto joga no reduto do Rapid de Viena. À sua espera, um Estádio Ernst-Happel com 50 mil nas bancadas. «Por um lado, queremos apresentar a nossa melhor equipa perante os nossos adeptos. Por outro, sabemos que temos no domingo um jogo contra o líder do campeonato da Áustria», explica o treinador visitado, Peter Pacult, em declarações reproduzidas pelo site derstandard.at.

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



João Pinto:
O histórico capitão do FC Porto João Pinto foi um dos elementos que esta manhã partiu para Viena, onde acompanhará o jogo com o Rapid, revisitando memórias da fabulosa primeira conquista dos azuis e brancos da Taça dos Campeões Europeus, graças a uma vitória por 2-1 sobre o poderoso Bayern Munique.



Questionado sobre o facto de nunca ter largado o troféu, aquele que chegou a ser considerado o melhor lateral-direito do mundo explicou: «Passaram-se estes anos todos e se não tivesse feito isso não aparecia nas fotografias. Ainda esta semana apareceu uma foto num jornal desportivo e lá estava eu em destaque. Foi como o primeiro brinquedo que o meu pai me deu. Já se passaram 23 anos, as emoções são muitas e esta iniciativa do FC Porto permite recordar-nos tudo isso.»



Artur Jorge:
O treinador Artur Jorge, campeão europeu ao serviço do FC Porto em 1987, também marcou presença na comitiva ‘heróis de Viena’ que partiu para a capital austríaca esta manhã e falou não só sobre a mítica final que deu a primeira Taça dos Campeões Europeus aos dragões, como também do presente.

«Ainda bem que estamos a recordar isto hoje, porque foi sem dúvida uma grande vitória que o FC Porto conquistou sobre o Bayern de Munique», afirmou o histórico treinador, tendo ainda acrescentado: «Os jogadores acreditaram que era possível vencer e a verdade é que ganharam.»

Sobre o momento actual dos dragões, Artur Jorge elogiou o conjunto comandado por André Villas Boas: «O FC Porto tem, uma vez mais, uma grande equipa e está a conquistar vitórias muito importantes tanto a nível nacional como internacional.»



Leia Mais…

Sporting vs Lille: 1-0

Primeira etapa superada em estilo, bem mais pelo balanço inicial do que pelas últimas impressões. O Sporting passou a fase de grupos da Liga Europa como líder e está nos 16 avos-de-final da Taça UEFA. A qualificação e o primeiro lugar foram garantidos esta noite, a uma jornada do fim, com uma vitória por 1-0 sobre o Lille, assinada por Polga.

A uma jornada do fim, os «leões» têm 12 pontos em cinco jogos, 14 golos marcados e apenas cinco sofridos. São a equipa mais goleadora da fase de grupos, agora a par com o Zenit. Começaram muito bem esta fase de grupos, ganharam em Lille, golearam Levski e Gent. A história fez-se aí, com um arranque em que a equipa de Paulo Sérgio se colocou praticamente a salvo de sobressaltos. Depois, a derrota na Bélgica só adiou matematicamente o apuramento e, agora, contas acertadas em Alvalade. Bem feito, motivos para festejar em Alvalade. Ainda que o anunciado marco das 100 vitórias europeias venha um pouco atrasado: se contarmos com a Taça das Cidades com Feira, antecessora directa da Taça UEFA e da agora Liga Europa, já são 108 os triunfos dos «leões», o 100º aconteceu há coisa de um ano.

Deste jogo, aliás, fica aquilo que garantiu. Não sobrará mais grande coisa para a história. Um Sporting sem pressão, sem necessidade de grande intensidade, o Lille a tentar sem conseguir. Um golo à meia hora que tranquilizou os «leões», está feito o resumo.

Paulo Sérgio fez uma alteração no «onze» inicial em relação ao clássico com o F.C. Porto, entrou Yannick e Valdés começou no banco. O jogo começou em tom morno, era o Lille quem mostrava mais vontade de acelerar. Aos seis minutos, um cabeceamento de Túlio de Melo obrigou Rui Patrício a uma defesa apertada.


1ª Parte:

O primeiro remate dos «leões» só chegou aos 11m, foi Evaldo quem chutou de longe. Dois minutos mais tarde, Polga esteve muito perto do golo, num cabeceamento à trave.

O Sporting ganhava maior dinâmica e aos 25 minutos Postiga ficou a reclamar penalty, por falta de Beria à entrada da área. O árbitro não marcou, o golo do Sporting havia de chegar três minutos depois, também com polémica. Canto batido por Pedro Mendes, na área Postiga salta de braço no ar, o árbitro nada assinala e sobra para Polga, que faz o golo.

Com Levski e Gent empatados ao intervalo, o Sporting até podia dar-se ao luxo de perder. Passará também por aí a falta de intensidade do início da segunda parte. Voltava a tentar mais o Lille fazer pela vida, ainda que sem grande sucesso.

A meia hora do fim, Valdés trocou com Yannick. No Lille entrou Frau, o treinador Rudi Garcia punha mais um homem na frente para tentar dar a volta ao resultado. Não resultou por aí além.

2ª Parte:

Na segunda parte, depois de anunciada a presença de 16.569 espectadores nesta noite fria em Alvalade, alguns momentos para aquecer. Umas aparições de Túlio na área, Landreau a travar boa oportunidade para Postiga, uma sequência de tabelas na baliza de Patrício a sete minutos do final, o entretanto entrado Vukcevic a cruzar para Liedson tentar sem sucesso o seu golo da noite, uma bola à trave de Vukcevic mesmo ao cair do pano. Nada de mais, ficou assim, 1-0. Vitória, qualificação e primeiro lugar, o Sporting leva tudo.

Texto: maisfutebol


Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



Paulo Sergio:

«O objectivo primeiro era o apuramento, o segundo vencer o grupo. Foi 2 em 1, conseguimos as duas coisas, contra um adversário de valor. A exibição não é mais brilhante e colorida porque pela frente está um adversário difícil, que é vice-líder do campeonato francês. Não deixámos que aplicassem aqui o método de jogo deles. Esse respeito e inteligência táctica do Sporting levou a que, nomeadamente na segunda parte, o jogo não fosse tão dinâmico e ofensivo, mesmo assim as melhores oportunidades foram nossas.»



«A equipa não decresceu na segunda parte. Mudou o posicionamento no meio-campo, porque entre linhas é onde o Lille é mais forte, hoje não os deixámos fazer isso. Na segunda parte baixámos um pouco o bloco. Quando se faz o segundo golo as exibições ficam mais abrilhantadas, quando não o jogo fica menos bonito.»









Leia Mais…

Villas Boas suspenso 10 dias (alterado)

O treinador do FC Porto, André Villas Boas, foi esta terça-feira suspenso por 10 dias na sequência da expulsão em Alvalade, frente ao Sporting. Além dos 10 dias de suspensão (que o farão falhar apenas o jogo com o Vitória de Setúbal), em casa, Villas Boas tem de pagar 1340 euros de multa.

Penso que estes castigos, só pecam por serem reduzidos, gosto muito do treinador AVB e admiro muito o seu trabalho, mas penso como alias já tive oportunidade de referir aqui, que por vezes e em certas situações, tem que saber separar o seu lado de adepto do seu lado de treinador, porque caso contrario, o seu lado de adepto (que devia ser uma vantagem) pode tornar-se uma desvantagem.

Sobre este castigo e esta expulsão, penso que foi totalmente justa, dá para ver que AVB disse algo de grave ao arbitro, para além da referida dualidade de critérios.

Penso que os treinadores, sejam eles quais forem, têm que acima de tudo darem o exemplo aos jogadores, e esta expulsão não podia ajudar mais neste exemplo, porque se o AVB deveria e iria com certeza puxar as orelhas ao Maicon, perdeu completamente essa oportunidade, porque também ele foi expulso...

Engraçado é ver que sempre que o Porto empatou o Villas Boas foi expulso, o que me leva ao próximo ponto... O que pode acontecer quando o Porto perder? Até já estou com medo... ehehehe

Mas brincadeiras à parte, penso que uma das coisas que AVB ainda não tem é maturidade neste campo, e por isso estas situações, são sempre bem vindas, para o seu próprio crescimento como treinador...

Esperamos que apreenda o quanto antes melhor, porque o futebol precisa dos seus treinadores no banco e não na bancada...
____________________________________________________________________

Este artigo está dividido a meio por um motivo muito simples, escrevi este artigo antes de ouvir a antevisão do jogo com o rapid e onde AVB explica a situação da expulsão em Alvalade.


Depois de ouvir a antevisão de AVB, que muitos dizem que é supervisionada por seguranças que pressionam jornalistas :) Continuo a pensar que nada justifica o líder dos jogadores, ter atitudes destas que os levam a expulsão, porque todos os motivos que já enumerei.

Mas também verdade seja dita, já não penso que tenha dito algo assim de tão grave, AVB tem-nos habituado a assumir os seus erros, como aconteceu depois das declarações de Guimarães e por esse motivo penso que se tivesse chamado algum nome, ou usado alguma expressão mais agressiva para com o arbitro o teria admitido (como alias já o fez anteriormente)

Mas por vezes não é preciso as palavras, os actos e as atitudes falam por si, e ele estava mesmo furioso... Concordo com ele quando diz que tem visto atitudes bem piores no campeonato, com outros treinadores, mas penso que não lhe fica bem essas comparações sobre atitudes erradas, André compara-te com coisas boas, porque isso é o que tens a mais e esquece as comparações de situações erradas... porque não servem de justificação...

Todos menos o doutro chanfrado da TVI viram que o Porto foi prejudicado escandalosamente, mas eu pergunto, não ficou mais prejudicado com o seu treinador expulso? Pois é André é isso que tens que pensar no futuro... ;) Se bem que eu no teu lugar teria feito igual ou pior... :) Mas por isso é que sou um mero adepto, nunca daria para ser treinador e muito menos jogador, porque não acabava jogo nenhum :)

Texto: R.A (BestOfFutebol)



Leia Mais…

Antevisão Sporting vs Lille


O treinador do Sporting vincou a ambição da equipa em garantir já amanhã o primeiro lugar do grupo, frente ao Lille, e o apuramento para a fase seguinte da Liga Europa.

Paulo Sérgio fez esta manhã a antevisão do desafio da quinta jornada da Liga Europa, frente ao Lille, e sublinhou o desejo do Sporting em garantir já amanhã o apuramento.

"A equipa continua num processo evolutivo, temos agora melhores dores de cabeça. Acredito que vamos estar mais fortes. O melhor está para vir", afirmou Paulo Sérgio na conferência de imprensa realizada em Alcochete

A boa exibição frente ao FC Porto não foi esquecida e o técnico leonino espera ver repetida a postura dos seus jogadores frente aos franceses."É um jogo diferente. O que temos de levar do último fim-de-semana é para todos os jogos: uma intensidade e um querer muito fortes. O Sporting vai procurar vencer a partida como tem feito sempre", vincou.

No entanto, Paulo Sérgio não poupou elogios ao adversário que venceu na primeira ronda do grupo, em França (triunfo por 2-1). "O Lille é uma equipa muito boa. Os nossos adversários do grupo disputam todos a liderança nos seus países. Há muito bom trabalho do seu treinador, sabemos que vamos ter uma partida difícil e temos de ser competentes".



"Temos cometido erros pontuais dentro de exibições conseguidas que nos têm penalizado bastante. Tal como no último jogo… contra boas equipas estes erros pagam-se caro. Há que insistir para eliminar esses erros", acrescentou.

Sem confirmar se amanhã irá operar nova 'revolução' no onze, como tem feito nos jogos europeus esta temporada, Paulo Sérgio apenas deixou uma garantia: "Vamos procurar colocar aqueles que entendemos que estão mais aptos. A ideia é sempre procurar vencer. É essa a nossa filosofia."

Carriço:
«Nunca jogamos para o empate, o Sporting entra em todas a competições para vencer e amanhã [quarta-feira] não foge à regra. Vamos entrar com muita ambição, até porque queremos o primeiro lugar do grupo»

«Todos os jogos são um teste para nós, amanhã é mais um em que queremos mostrar que a equipa está bem. O Lille é uma equipa forte, as equipas francesas são sempre boas equipas, ainda para mais o Lille está bem posicionado. Porém a amanhã vai ser um jogo complicado, eles têm um excelente colectivo e boas individualidades»



Além do Sporting e F.C. Porto, a Liga Europa pode ser reforçada com mais dois clubes portugueses na próxima fase, com as «despromoções» do Benfica e do Sp. Braga da Liga dos Campeões. «Não pensamos nisso, queremos fazer um bom trabalho, se estão portugueses ou não é indiferente, acima de tudo queremos fazer um bom trabalho»

Rudi Garcia:
O treinador do Lille prometeu, esta terça-feira, que a sua equipa vai "atacar e tentar ganhar" frente ao Sporting, adiantando esperar um encontro "muito diferente" do ocorrido em França.

"Não temos outra hipótese senão atacar e tentar ganhar o jogo. Se nos quisermos qualificar, temos de vencer. Um empate ou uma derrota aqui não faz diferença e sabemos que o Sporting tem dominado este grupo da Liga Europa", afirmou Rudi Garcia, na conferência de antevisão da partida da quinta jornada do grupo C da Liga Europa.



No primeiro jogo entre as duas equipas, o Sporting foi ao Stadium Nord vencer o Lille, por 2-1, resultado que levou o técnico a referir: "São jogos diferentes; passaram três meses e (...) o Lille atravessa um período de grande confiança".

O gaulês elogiou a qualidade do plantel leonino, mas preveniu: "Somos uma equipa que sabe marcar golos e esperamos não sair daqui com razões para nos lamentar".

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco




Leia Mais…
terça-feira, 30 de novembro de 2010 | 7 comentários | By: BestOfFutebol

Estado Puro: Terceira Edição

A Paixão do Jogo: Futebol em estado puro!

Olá o meu nome é Jorge Sousa, podia eu apitar um Sporting-Porto sem validar um golo em fora-de-jogo e expulsar um jogador injustamente? Podia, mas não era a mesma coisa!

Começo a edição do estado puro desta semana com esta analogia a um comercial de uma televisão por cabo conhecida, que serve na perfeição para classificar aquilo que se passou nesta jornada da Liga Portuguesa.

Antes de mais, deixo aqui um abraço ao nosso comentador António, que no meio dos seus muitos comentários deixou-nos aqui esta pérola:

António disse... [Responder a Comentário]
Os penaltys não marcados contra o benfica e os penaltys marcados a favor no ano passado!?
Este ano tambem ja estou farto de ver penaltys por marcar contra o porto.
Queres saber quantos penaltys ja ficaram por marcar contra o porto este ano, e ainda não chegamos a meio do campeonato???


Humm.. algo me diz, caro António, que falou depressa demais, senão vejamos, o que podemos dizer no fim de uma jornada em que:

1º - O FC Porto foi prejudicado em um golo sofrido precedido de um fora-de-jogo, uma expulsão irreal em Maicon se desvia para deixar passar Liedson, e o “levezinho” cai na mesma, sem falar que o Liedson não era o ultimo homem, porque o Rolando estava mais a frente, e mesmo assim Maicon é expulso, uma brutalidade de Maniche que nem amarelo leva.
2º - Um penaltie que põem o Benfica em vantagem e que sinceramente o árbitro só o marcou porque se chamava Jacinto Paixão! Porque sejamos sinceros, lances daqueles acontecem em todos os jogos, só aquele foram assinalados e porquê? A resposta é simples: Porque é preciso manter a verdade desportiva!
3º - O Guimarães, neste momento o verdadeiro concorrente directo do Benfica por um lugar na liga Sagres, é prejudicado contra o Marítimo num penaltie inexistente, também abrangido pela lei da verdade desportiva.

Todos estes lances pode-os ver aqui

Ora, visto isto, dei por mim a pensar qual seria o verdadeiro significado de Verdade Desportiva, que tanto se fala hoje em dia! Após uma semana de pesquisa na net e muita barba por fazer, cheguei a conclusão que a Verdade Desportiva é:

O Estado a que o Futebol Português atinge, quando o Sport Lisboa e Benfica consegue ser mais beneficiado que os outros restantes clubes Portugueses, para se atingir este estado, é necessário que, além do clube citado ser beneficiado, tenha também que se prejudicar os restantes clubes concorrentes, podendo estes ser prejudicados em lances casuais jornada após jornada ou então numa época inteira através do afastamento de jogadores fundamentais para a equipa.



De resto, o Sporting de Braga venceu de novo para a Liga Sagres, batendo o Nacional em casa por 2 bolas a zero, o que já não acontecia desde a 8ª Jornada em que os Bracarenses venceram o Olhanense por 3-1.

A equipa de Domingos também não se livra da contestação, neste jogo, principalmente no primeiro golo marcado por Lima, após um penaltie cobrado por Mateus, o Brasileiro do Braga aproveitou a recarga e fez o golo, a repetição mostra que Lima já estaria dentro da área quando o penaltie é cobrado o que torna o golo irregular.
Resumindo e concluindo, foi uma jornada quente, com muitos erros de arbitragem e com um claro beneficiado, mas o que é importante é irmos mantendo o nível da Verdade Desportiva!

Para a semana, a edição do estado puro trará uma novidade em primeira mão que não irão querer perder: Uma nova escuta de Pinto da Costa nunca antes revelada!
Sim é verdade, estamos em condições de afirmar que irá causar surpresa!

Deixo aqui uma palavra de apreço ao campeonato feito pela União de Leiria! Um clube que esteve em risco de não poder ser inscrito no inicio do campeonato devido às dificuldades financeiras que atravessa, e que neste momento se encontra em 6º lugar depois duma vitória sobre o Rio Ave e que mostra que nem sempre o futebol é feito de manobras e dinheiro, mas por vezes também de espírito de sacrifício e emoção e Amor pela Arte!

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



No futebol Mundial, quero dar destaque aquele que se já muitos consideram o jogo do século! Barcelona recebeu ontem nas suas hostes o todo "poderoso" Real de Madrid.
Um jogo recheado de emoção, futebol ao mais alto nível, golos e jogadas fantásticas! Não percam a crónica detalhada a todos os lances do jogo que o BestOfFutebol fez, clique Aqui!!

Não percam também o especial detalhado que o BestOfFutebol fez, com todos os pormenores e vídeos deliciosos Aqui!

Football Legends!



Nenhuma crónica de verdadeiro futebol que se prese pode deixar passar as lendas que, um bocado por todo mundo deram o seu contributo para que o futebol apaixonasse os adeptos, criasse emoções, fosse vivido pelas pessoas como algo que faz parte da sua vida e não um mero desporto como os outros.

Neste capitulo começarei com um jogador, que para mim e certamente para os leitores foi uma das maiores lendas do Futebol Moderno (não arrisco a dizer a melhor, porque o futebol está recheado de bons jogadores), mas este foi para mim, um verdadeiro talento, uma pessoa que deu tudo o que tinha em campo, espalho magia e o terror para as equipas adversárias, mas era sobretudo um jogador completíssimo, que marcava livres como ninguém, recuperava bolas, comandava as equipas por onde jogou e sobretudo com um toque de bola mágico, subtil mas ao mesmo tempo venenoso, no final do Mundial de 2006, o mundo do futebol ficou mais pobre, quando Zinedine Zidane decidiu pôr um fim à sua brilhante carreira de futebolista, eu, como bom amante de futebol que sou, não consegui deixar de sentir tristesa e pesar quando constatei que Zidane abandonaria os relvados, fica aqui a minha homenagem a um dos melhores futebolistas de todos os tempos.



Zinedine Zidane, mais conhecido como "Zizou" nasceu no dia 23 de julho de 1972 em Marselha (França), desdente de pais Argelinos, Zizou sempre teve desde pequenino uma habilidade formidável para o futebol, começando a sua carreira por vários clubes de pequena dimensão Francesa, é no Cannes que incia e desenvolve o perfume que deixava os adversários a desejar que o jogo terminasse rápido.



Em 1992, Zidane assina pelo Bordéus e é neste clube que conquista o seu primeiro título como futebolista profissional: A Taça Intertoto!, seguiu-se uma final da já extinta Taça Uefa e o Bordéus tornava-se pequeno demais para Zizou, estamos na época de 1996, onde aparece a toda-poderosa Juventos, que contrata o médio por três milhões e meio de euros.



Na Vecchia Signora, Zizou venceu vários titulos como a Taça Uefa, o Scudetto (campeonato Italiano), a Taça Intertoto, a Supertaça Europeia e a Taça Intercontinental, não conseguindo vencer a Champions League, facto que viria a ser alterado mais tarde.

Em 2001, Zizou é protagonista daquela que é hoje a segunda maior transferência do futebol, o Real Madrid, uma equipa de galácticos oferece ao clube Italiano setenta e cinco milhoões de euros! Clube onde Zizou venceu tudo o que havia para vencer, Liga dos Campeões incluída, este seria o último clube onde Zidane jogaria até ao fim da carreira



Mas Zizou também teve uma grande carreira a nível Internacional, representando a selecção Francesa por 104 vezes, sendo a primeira delas em 1994, entrando no jogo e marcando dois golos em vinte minutos quando a França perdia por duas bolas a zero, sendo que foi na selecção Francesa que Zidane conquistou títulos como o World Cup e o Europeu!



A sua carreira recheadíssima de titulos internacionais ou nacionais viria a ter um fim no World Cup de 2006, na final contra a Itália, a sua carreira fica manchada pela negativa num lançe que o árbitro expulsa o Francês do jogo por agressão a Materazzi, o lançe atingiu escala a nível planetária e Zidane viria a ser muito criticado por isso.

Hoje em dia, aquele que é considerado por muitos como um dos melhores jogadores de sempre é embaixador da ONU na luta contra a fome e ocupa um lugar na direcção do Real Madrid sob a presidência de Florentino Perez!

Aqui deixo a minha grande homenagem a este jogador, peço que dispensem uns minutos, vale a pena ver estes minutos de magia!



Por fim queria-vos falar do momento mais emocionante do futebol, aquele que nos faz explodir de alegria e que contagia as pessoas a gostarem do desporto-rei: O Golo!

Ele pode surgir de várias maneiras e feitios, em jogadas rápidas, em remates de longe, de penaltie, de livre, de cabeça….etc..

Porém, existem outras maneiras menos convencionais de marcar golo, e todas elas valem o mesmo, deixo-vos aqui um vídeo que podem ver e deliciarem-se com alguns golos….mais ortodoxos (qualquer analogia feita a Roberto e ao Benfica, é pura coincidência e não é da minha responsabilidade):


PRÉMIO IMPRENSA:
O Prémio imprensa desta semana vai para o BestOfFutebol e para a noticia Desnorte da Manada 2, escrita brilhantemente por R.A.! que se ainda não viram, podem ver aqui! A razão é simples, se um artigo incomoda muita gente, dois artigos incomodam muito mais! É interessante ver que ainda existem pessoas que se incomodam a ouvir a verdade, e mais importante que isso, recusam-se a aceita-la.

MOMENTO DE OURO:
O momento de ouro da jornada vai para: O Jornalista entrevistador da flash interview feita a Jorge Jesus.. Falando Português correcto, o Homem até poderá ficar sem emprego, mas não pode ser acusado de não ter tido “tomates” para conduzir a entrevista e fazer as perguntas que todos queríamos ver respondidas.

MOMENTO DEPRIMENTE:
Vamos dividir isto: Primeiro momento deprimente, as maçãs atiradas pelo publico Sportinguista, primeiro por ser incrível o facto daquelas maçãs todas entrarem no Estádio, será que os seguranças do estádio pensaram que o público ia fazer uma saladinha de fruta??

Segundo momento: Maniche! Relembro que em três edições de estado puro, Maniche aparece em duas pelo mesmo motivo, Agressão a um jogador! Neste caso a João Moutinho, lance que o arbitro convenientemente não viu, é incrível e inadmissível que um jogador daquela idade tenha este tipo de atitudes jornada após jornada, merecendo até um castigo interno, a meu ver, um jogador é pago para jogar futebol e não para dar porrada, isto porque um Boxista até recebe um salário inferior, não havia necessidade de pagar um salário tão alto ao Maniche para ele fazer o que tem feito!!

PERGUNTA PARA OS LEITORES:
Qual é o vosso conceito de Verdade Desportiva?

SEJAM CRIATIVOS!!!! Fico à espera das vossas respostas!

Have a nice Day!

Texto: Hugo Pinto (BestOfFutebol)

P.S: A partir de hoje, existe um email para o qual podem dar as suas críticas e sugestões sobre o estado puro... estadopuro.bof@gmail.com



Leia Mais…

O Ridículo continua...


Eu não gostava de estar aqui sempre a falar do mesmo, mas por outro lado não posso deixar passar em claro mais esta tentativa de branqueamento e de ridículo, em que este Benfica nos tem habituado nestes últimos tempos...

Para quem não sabe ou não viu, o Jorge Jesus depois do jogo em Aveiro abandonou as entrevistas rápidas, numa demonstração do seu carácter e da sua personalidade, mostrando uma falta de educação e de poder de encaixe que o tem caracterizado nos últimos tempos.

Relembro aos mais esquecidos, que no ano passado, o Benfica e Jorge Jesus, usavam esta mesma comunicação social, que este ano já não vale nada para enviarem as mensagens Manada para todos os sócios, e para se vangloriarem das conquistas e dos êxitos obtidos, e nessa altura, já não se importava com nada, enm com nenhum regulamento.


Mas o pior ainda está para vir... Qual o meu espanto, quando esperava que o clube da Verdade Desportiva, viesse pedir desculpas pela triste atitude do seu treinador, constatei que ao invés disso, o que vieram fazer foi mais uma conferencia de imprensa ridícula, e onde serviu apenas para manter a Manada ocupada e distraída, estão a tentar utilizar este acontecimento para criarem mais uma cortina de fumo.

E digo ridícula para não lhe chamar um nome pior... Então vamos lá entender o porquê.
E vou citar o que esse energumeno (não pode ter outro nome) veio dizer: "Entrevistas rápidas DEVEM versar, apenas sobre o jogo" e quero relembrar que chega ao ponto de repetir "Deve apenas..." Agora eu pergunto? Será que além de serem moralistas e fundamentalistas, são também Analfabetos e Burros?

Só pode ser... Para terem a coragem de vir fazer esta figura para a televisão, desde quando "deve" é o mesmo que "Tem". O deve e sugestivo, não obrigatório...
E o Burro ainda diz, vou citar e vou repetir... (como fosse uma grande Verdade) E nem assim se apercebe... Enfim é o cúmulo dos cúmulos...


Ainda têm a lata de falarem do regulamento? Eles nem Português sabem interpretar, como é que podem saber gerir uma equipa de Futebol, é inacreditável como continuam a cair no ridículo, e o pior é que os sócios e adeptos ainda continuam a deixar-se envolver nestas cortinas de fumo e continuam a apoiar tal atitude...

Depois para alem de já terem ameaçado com os sócios, com a falta de comparência no Dragão, com a falta de comparência na Taça da Liga, agora querem também ameaçar com a falta de comparência nas entrevistas rápidas... Eu sugiro que acabem com o Futebol... Porque não fazem isso, assim poupavam-nos a esse ridículo todo... E preservavam o que ainda resta do nome Benfica.

Depois ainda vem falar das conferencias dos outros e dos seguranças que pelos vistos limitam os jornalistas? ahahaha Esse senhor é mesmo do pior, de que toca é que ele saiu? Ele é deste planeta? tenho duvidas... As conferencias de imprensa no dragão neste momento são as que mais gozo dão aos jornalistas, porque têm um treinador que responde a tudo, e que permite tudo, a fazer lembram as também maravilhosas conferencias de um senhor chamado Quique Flores.

Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco




Por falar em seguranças porque é que ele não justificou e explicou porque é que, esse mesmo jornalista da TVI, que não comprou o curso teve que o tirar com o seu suor, foi ameaçado no final do encontro, pelo mesmo segurança que espetou aquela bofetada ao amigo do Moretto em pleno aeroporto e perante dois policias? Isso é que era interessante explicarem e fazerem uma conferencia de imprensa...

Depois ainda continua com aquela moral de dizer: "há um tempo certo para dizer basta" mas basta de quê? Está tudo doido?
Basta só se for há falta de educação, Basta aos moralismos. Basta ao choradinho. Basta ás mensagem Manada. Basta a intimidação. Basta com a chantagem. Basta ao fundamentalismo. Basta arrogância. Basta a prepotência. Basta de burrice. Basta de mau futebol. Basta a ás cortinas de fumo. Basta a impunidade. Basta Basta Basta.

E porque não, Basta ao Benfica? Porque não tomam coragem e fecham o clube, já que são os únicos com a "Verdade Desportiva"?

Por favor tenham vergonha na cara e estejam calados, ou pelo menos quando falarem saibam do que falam...

P.S: Como ficou provado ainda ontem, existem benfiquistas que são diferentes, como esse senhor chamado (benfica sempre) um benfiquista que se pode falar e que mesmo que tenhamos opiniões diferentes sobre alguns assuntos, não tem o pensamento Manada.
E para todos esses Benfiquistas quero dizer-vos que este texto não é para vocês... E que são muito bem vindos a este blogue.


Texto: R.A (BestOffutebol)


Leia Mais…
segunda-feira, 29 de novembro de 2010 | 15 comentários | By: BestOfFutebol

Barcelona vs Real Madrid 5-0

Uma verdadeira concentração de estrelas esta noite em Camp Nou, jogava-se o Barcelona - Real Madrid, pelo mundo fora, 400 milhões de pessoas assistiam aquele que foi considerado por muitos o jogo do Século, pelas 20h (Hora Portuguesa), o Barcelona dava o toque de saída com o estádio cheio e a emoção do Futebol ao rubro, iniciava-se aqui uma noite de sonho para a equipa Catalã.

O Barça entrou mais forte no jogo, com o seu futebol curto e rendilhado e uma pressão enorme sobre o portador da bola, entrou no jogo por cima, tal como se previa visto estar a jogar em casa. Decorria ainda o minuto 7', quando o Barcelona faz o primeiro aviso a esta equipa do Real. Lionel Messi, "La Pulguita" por muitos considerado o melhor jogador do Mundo, encostado sobre a direita pica a bola sobre Casillas e a bola embate no poste da baliza, um aviso para o que ia acontecer a seguir, facto é que 3 minutos depois, um passe rasgado isola Xavi que com uns reflexos impressionantes pica a bola sobre o guarda-redes Madrileno e os Catalães chegam ao primeiro golo.

Após o golo, o Real ainda esboçou alguma reacção, tentando jogar um pouco mais perto da baliza de Valdes, mas sempre sem sucesso, a forma como o Barça faz a pressão sobre os homens centro-campistas de Madrid é sufocante e aos 18 minutos, David Villa corre sobre a direita, cruza rasteiro, Casillas não consegue segurar e a bola sobra para Pedro, que com a baliza toda escancarada à frente não falha e o Barça eleva para 2-0 uma partida que começa a ameaçar ser desastrosa para Mourinho.

Aos 25 minutos, o domínio de jogo do Barcelona era de tal forma expressivo, que a posse de bola contava com 70% para os lados da equipa Catalã contra 30% para a equipa Madrilena, as estatísticas expressavam o que se passava em jogo: O Real Madrid não se encontrava e o Barça dominava por completo.


A segunda metade do primeiro tempo foi menos bonita, o jogo tornou-se mais violento e com menos serenidade, a falta de paciência e a tensão começava a apoderar-se dos jogadores de Mourinho, tudo começa aos 33minutos com uma demora na reposição de bola por Guardiola, que deixa Ronaldo irritado e que o faz empurrar o treinador do Barça, sendo que depois disto outros lances se passaram e o jogo tornava-se mais confuso, pedindo o intervalo para serenar os ânimos, fica no meu ver aos 45' um cartão vermelho por assinalar a Ricardo Carvalho por agressão a Messi, ao ver-mos o lance, parece haver simulação de Messi, mas na repetição vê-mos que Carvalho atinge o Argentino, o Real ficaria reduzido a 10 unidades.

1ª Parte:


O intervalo fez melhor ao jogadores da casa, o Barça entrou com toda a força, sempre com trocas de bolas constantes, aquele "tic-tac, tic-tac" chega a impressionar mesmo as pessoas que não gostam de futebol, é realmente um prazer ver uma equipa a jogar tão bem, este Barça é capaz de fazer dezenas de passes seguidos e não perde a bola, baralha o adversário e de repente deixa um atacante isolado, que o diga David Villa, que aos 55' e aos 58' recebe por duas vezes a bola dos pés de Leonel Messi e das duas vezes fica isolado frente a Casillas, o jogador que rumou ao Barça este Verão não perdoou e fez o terceiro e quarto golo, apesar de no primeiro lance parecer que está ligeiramente adianto ao último defesa que seria Pepe, nada que pudesse afectar esta máquina de jogar futebol chamada Barcelona.

O Barça trocava a bola, dominava e jogava como bem queria, desta forma o Real Madrid só conseguia travar a equipa Catalã com recurso à falta e por isso não é de estranhar o facto de em quatro minutos o árbitro exibir três amarelos aos jogadores Madrilenos, desta forma Khedira, Sérgio Ramos e Ricardo Carvalho, este último poderia muito bem ter visto o cartão de outra cor, o Português cortou a bola com a mão quando Pedro seguiria isolado para a baliza com grandes possibilidades de marcar golo, Ricardo Carvalho livrou-se assim pela segunda vez de ser expulso no jogo.

Faça parte do nosso grupo e aposte connosco na BetClic



Com o resultado a correr de feição, Guardiola começa a fazer a gestão do jogo fazendo sair David Villa para a entrada Bojan Krkic e pensava-se aqui que o Barcelona iria abrandar o ritmo, pelo contrário, Bojan mal entrou, teve duas oportunidades para aumentar o resultado, valeu uma descoordenação do avançado no primeiro lance e uma grande defesa de Casillas no segundo, o Barça carregava cada vez mais, muito devido à inércia dos jogadores Madrilenos, que falhavam muitos passes e que não conseguiam recuperar a bola, o Barça estava enorme e adivinhava-se que o resultado não iria ficar assim.

2ª Parte:


Quase no final do jogo, Guardiola ainda tem tempo para tirar Pedro e Xavi do jogo para lancar Jeffrén e Seydou Keita e aqui à que sublinhar a visão de jogo de Guardiola nas substituições, pois é do banco que nasce o último golo Catalão, estavam decorridos os 90 minutos do jogo quando Bojan pela direita cruza rasteiro e Jeffrén com uma finalização de classe dá a machadada final nos homens de Mourinho.

O jogo podia bem terminar por aqui, só não termina porque Sérgio Ramos logo a seguir ao golo perde a cabeça, pontapeia Messi, esbofeteia Puyol, leva vermelho directo e ainda põem a mão em Xavi que já teria saído do jogo, o espanhol do Barcelona ainda foi punido com um cartão amarelo por ter entrado no terreno já depois de ter saído, esta era uma fase que a equipa Madrilena andava totalmente perdida em campo a desejar que o jogo terminasse rápido.

CONCLUSÃO:
Foi apenas uma vitória que vale três pontos naquela que é a derrota mais pesada na carreira de Mourinho e que deixa o Barça em primeiro lugar da liga Espanhola, mas foi sobretudo uma lição de futebol que a equipa Catalã deu à equipa Madrilena, que foi totalmente dominada, este Barça apesar de não ser campeão europeu é para mim, a melhor equipa do Mundo e aquela que mais gosto dá ver jogar futebol, os jogadores jogam de olhos fechados um futebol de toque rápido onde a bola circula por todos os seus elementos com uma qualidade que enche o olho....até aos adversários!

Texto de: Hugo Pinto (BestofFutebol)



Guardiola:
Guardiola não acredita que o Barcelona seja muito superior ao Real Madrid mesmo depois da goleada aos «merengues» no Camp Nou (5-0).

«Hoje fomos melhores, hoje! As duas equipas usam armas diferentes para atingir os mesmos fins. O Real Madrid tem uma grande equipa, jogadores espectaculares, e conseguimos uma grande vitoria», garantiu o técnico culé.


Pep Guardiola não assume também que a filosofia de jogo dos catalães é melhor que a do rival. «Não é verdade. Uma ideia não é mais ou menos válida só porque venceu. Tentamos seguir esta filosofia, mas a do Real Madrid e a de outras equipas do mundo são tão válidas como esta. Acreditamos nesta filosofia. o trabalho do treinador é convenceu os seus jogadores e os jogadores do Barcelona estão convencidos. Se não acreditássemos não funcionaria.»

O treinador desvalorizou ainda o incidente com Cristiano Ronaldo. O português empurrou-o junto à linha lateral. «São coisas que se passam no jogo.»

Mourinho:
José Mourinho reconheceu a superioridade do Barcelona, mas não acredita que a diferença entre as duas equipas seja a dos cinco golos com que os catalães venceram o clássico. O treinador português recorda que o Real Madrid está a apenas dois pontos do topo da classificação e tem de continuar a trabalhar para conquistar o título. O ideal, para Mourinho, era voltar a jogar já esta terça-feira.

Quanto às diferenças. «Como podem dizer isso? As diferenças são de um campeonato que vai ser equilibrado até final. Na semana passada tínhamos mais um ponto, agora temos menos dois e vai ser sempre assim até final. Sempre disse que o Barça era um produto acabado e sempre disse que ao Real Madrid faltava muito para sê-lo. Essa diferença é o resultado de hoje. O resultado é um prémio para quem jogou muito bem e um castigo para quem jogou muito mal. Já saí deste campo com resultados difíceis de digerir, com o Chelsea e com o Inter, mas hoje não. Não gosto de perder por estes números, mas esta derrota é fácil de digerir», destacou.

Uma derrota pesada que pode afectar a equipa em termos psicológicos. «Espero que não, falei agora com os jogadores e disse-lhes isso. O campeonato não acabou hoje, a temporada não acabou hoje. Quem sabe se não voltamos a este estádio. O ano passado também perdi aqui com toda a gente a rir e, dois meses depois, joguei a final da Champions com toda a agente a ver na televisão. Quando perdes por 0-5 não tens de sair a chorar, mas com vontade de treinar e jogar o próximo jogo. Jogamos sábado [com o Valência], é pena, preferi a jogar amanhã», referiu.


Uma derrota que Mourinho diz que foi muito consentida, com falhas gritantes da sua equipa nos dois primeiros golos. «Oferecemos dois golos que estão perto do ridículo, pela facilidade como perdem no um contra um. São dois golos com culpas nossas. Depois, a perder por 0-2, diante de uma equipa que em contra-ataque é muito rápida, tens duas hipóteses: ou ficas por ali e fica 0-2 ou arriscas à procura de outro resultado. O Barça fez um jogo fantástico, mas tenho de me preocupar com a minha equipa que até hoje estava a jogar de forma fantástica e hoje esteve muito mal», acrescentou.

O treinador português sentou-se no banco de suplentes e durante toda a segunda parte nãos e levantou. «Estava no banco e sabia que ia perder. Não é um jogo tenso em que se podem mudar as coisas. Não entramos mal no segundo tempo, mas quando fizeram o terceiro golo, o jogo acabou. A única coisa que queria era que a equipa não perdesse o equilíbrio em campo e chegasse com dignidade até final. Senti-me um pouco impotente para mudar o que não podia mudar», comentou ainda.

Uma desilusão que Mourinho quer ultrapassar o mais rápido possível. «Fiquei desiludido porque esperava muito mais. Os jogadores também esperavam jogar muito mais. Não é difícil de entender que todos saímos com essa sensação, mas o jogo terminou. Depois de amanhã teremos muito que fazer. Temos de continuar num campeonato em que estamos a dois pontos do líder, não estamos a vinte, temos de continuar», disse a finalizar.



Frase da Semana:
“O Barça marcar 8 golos ao Almería não me diz nada. Veremos se nos marcam 8 na segunda-feira”

Alguém sabe quem é o autor da mesmo?


Este jogo teve jogadas incríveis, e foi uma grande lição de bola que o Guardiola deu a Mourinho, já o tinha feito na conferencia de imprensa e agora voltou a fazê-lo dentro do campo...

Jogada 1:


Jogada 2:



Jogada 3:


Jogada 4:


Leia Mais…