quinta-feira, 2 de dezembro de 2010 | | By: BestOfFutebol

Rapid Viena vs Porto: 1-3

O F.C. Porto garantiu o primeiro lugar do Grupo L da Liga Europa, ao vencer no reduto do Rapid de Viena (1-3). No regresso ao Estádio Ernst Happel, com os campeões europeus de 1987 nas bancadas, foi Falcao a voar mais alto, garantindo uma reviravolta à imagem daquela final, então frente ao poderoso Bayern de Munique.

André Villas-Boas preparou quatro alterações para a visita ao Rapid de Viena. O ataque permaneceu imutável, com Varela e Hulk no apoio a Falcao. Beto surgiria na baliza, Fucile e Otamendi na defesa, Ruben Micael a meio-campo. Contudo, a lesão do guarda-redes no aquecimento recuperou Helton para o onze.

O F.C. Porto entrava em campo com o apuramento garantido. Pela primeira vez, apresentava-se como única equipa europeia sem derrotas. Um registo a manter enquanto possível. Por outro lado, Villas-Boas recordou a importância de segurar o primeiro lugar, ainda ameaçado pelo Besiktas.

O plano de jogo dos dragões foi alterado rapidamente, face às condições climatéricas. Beto lesionou-se ainda no aquecimento, Fernando aguentou apenas 16 minutos. O médio defensivo, que regressou à competição no clássico, sofreu uma entrada dura e acabou por sair, a coxear. Entrou, e entrou bem, Guarín.


O médio colombiano posicionou-se à frente da defensiva azul e branca, numa altura em que o F.C. Porto começava a dominar territorialmente o jogo. Guarín contribuiu para esse ascendente, vendo a sua equipa criar algumas oportunidades de golo. Antes, Saurer ainda fez a bola raspar no poste azul e branco.

Em dez minutos, entre os 25 e os 35, os adeptos portistas animaram-se com a perspectiva de golo. Porém, o mesmo viria a surgir na baliza contrária, neste caso à guarda de Hélton. O Rapid aproveitou um desvio de cabeça de Otamendi, deixando o infeliz brasileiro de fora da jogada. Trimmel, em antecipação a Fucile, marcou.

O F.C. Porto respondeu sem demora. Varela, desmarcado por Hulk, perdeu uma oportunidade soberana. Logo depois, Soma falhou a intercepção a lançamento longo de Otamendi e Falcao aproveitou. O colombiano soube contornar as peculiaridades do relvado e atirar a contar. Ao intervalo, tudo nivelado.

1ª Parte:

Villas-Boas tentou alterar o rumo das coisas ao intervalo e em certa parte proteger a equipa deixando de fora Varela, que vem recuperando de uma lesão e fazendo entrar Ukra, uma pedra que tem sido menos utilizada na equipa Portista.

A verdade é que o FC Porto continuou a sentir muitas dificuldades em adaptar-se ao terreno, o volume de neve que o campo acumulava fazia com que a bola rolasse demais em certas partes do campo e prendesse noutras, o que torna muito difícil fazer as trocas de bola e a circulação que caracteriza a equipa dos dragões. O Rapid sentia-se como peixe na água, habituado que está a jogar nestas condições, condições essas que atenuavam a notória diferença de qualidade entre as duas equipas.

A circulação de jogo estava complicada, o futebol dos Austríacos caracterizava-se por contra-ataques fortes e aguerridos, enquanto que o Porto tentava como podia fazer rolar a bola, ainda que com isso tenha sofrido alguns dissabores com perdas de bola a meio campo que se transformavam em contra-ataques rápidos e venenosos.

Deixe-nos a sua opinião sobre este assunto, na parte inferior deste artigo...

Aos 60m soava o alarme, no jogo do Besiktas-CSKA Sófia os turcos passavam para a frente do marcador e agora a realidade era outra: O FC Porto necessitava de ganhar para garantir o primeiro lugar no grupo, ou apostar tudo no último jogo em casa. Foi a pensar nisso que aos 72m Villas-Boas retira Rúben Micael e aposta em Fernando Belluschi e nestes minutos o Porto melhora substancialmente.

2ª Parte:

O que se seguiu foi uma serie sequencial de ataques dos Dragões, primeiro aos 78'm Moutinho cruza a bola rasteira para o centro recuado da grande área onde aparece o remate de Rolando que acerta num defesa quando o Português se preparava já para festejar, aos 79' pediu-se penalti com mão na bola de Patocka dentro da área e finalmente aos 85m, com o jogo quase a terminar, Hulk passa por um defesa no lado esquerdo, cruza tenso e Hedl, o guarda redes austríaco não segura a bola à primeira permitindo que "El Tigre" Falcao faça pela segunda vez o gosto ao pé, estava dada a volta ao marcador num resultado que fazia de lembrar a final de 1987 em que o FC Porto venceu o Bayern neste mesmo estádio pelo mesmo resultado.

Quando todos já lembravam com nostalgia a coincidência do resultado, a dupla atacante do FC Porto decide que afinal os tempos são outros, assim como as equipas, decorria o minuto 88m, quando Hulk desfere um potente remate para o centro da baliza com efeito a fugir do alcance do guarde-redes, Hedl, com muito esforço defende para a frente, mas quando isso acontece numa zona onde o temível "El Tigre" comanda, pode ser um grande erro...Falcao aproveitou mais uma vez, com uma finalização sublime, fazendo um Hat-Trick, confirmando a vitória no jogo e o primeiro lugar na Liga Europa.

Veja as fotos do jogo Aqui

CONCLUSÃO:
Foi um jogo difícil, não propriamente pela equipa de Viena mas pelas condições atmosféricas, a neve que se fazia sentir era difícil para qualquer jogador, principalmente para as equipas em que jogar na neve é algo fora do normal como é o caso do FC Porto, num campo saudoso para todos os adeptos Portistas, principalmente para aqueles que tiveram oportunidade de viver a épica final de 1987, onde se fazia história pela primeira vez: uma equipa desconhecida de Portugal vencia o Todo-Poderoso Bayern com um golo de calcanhar que ficará para a história, foi o ano de confirmação para o clube e o ano que os Portistas, principalmente os mais velhos viverão sempre com emoção e carinho.

Quanto à actualidade, FC Porto garantiu o primeiro lugar do grupo permitindo assim que possa poupar alguns jogadores na última ronda da fase de grupos e dar minutos aos jogadores menos utilizados sem que isso comprometa a segurança da equipa, o FC Porto soma e segue na Europa, esta crónica continua nos próximos episódios...!

Texto 2ª Parte: Hugo Pinto (BestOfFutebol)

Apoio dos Super Dragões em Viena:


Villas Boas:
André Villas-Boas, treinador do F.C. Porto, após a vitória sobre o Rapid, em Viena, e que apurou a equipa para os 16 avos-de-final da Liga Europa, com a liderança no Grupo L:

«Não brincamos com as competições. É um dia histórico pela exibição, pelo resultado e pelo significado que tem este estádio para nós. É uma exibição para nunca mais esquecer. A equipa jogou no limite do risco físico, mas o grande desempenho e capacidade de concentração ajuda no evitar das lesões. Com a neve que estava e fazer a exibição que nós fizemos não há criticismos. Hoje não é um dia para criticar, é um dia para louvar.»




João Moutinho:
«O objectivo era ficar no primeiro lugar. Garantimos esta noite a vitória, num jogo com condições climatéricas muito adversas. Nunca iremos tirar o pé, jogamos sempre para ganhar.»




Falcao:
«Foi uma vitória importante com factores climáticos difíceis, mas conseguimos fazer o nosso jogo. É difícil jogar nestas condições, mas os jogadores do F.C. Porto têm muita qualidade e conseguimos superar este obstáculo. Jogámos com a bola controlada, fizemos muitos remates à baliza e conseguimos os golos suficientes para a vitória.»











Faça parte do nosso grupo de apostadores na BetClic, e aposte connosco



Blog Widget by LinkWithin

5 comentários:

Álvaro disse... [Responder a Comentario]

Vale apenas pelo resultado, porque o futebol não se chegou a ver, ainda por cima houve lesões.
Espero que não sejam graves.

FC Porto INVICTO !!!!

Silva disse... [Responder a Comentario]

@Álvaro
Pior mesmo foram as lesões, mas espero uma recuperação rápida.
esta época já praticamos pólo aquático, já lavramos e agora praticamos hóquei no gelo, que mais falta?? Este PORTO é mágico.. Todos estiveram fantásticos mas este Falcao, que sentido de oportunidade, que goleador e finalmente o seu primeiro hat-trick, mais que justo...

carlos disse... [Responder a Comentario]

com esta grande vitória sendo o unico clube sem derrotas em todo o mundo e vem aquelas merdas de jornais bola e record com aquelas capas é triste...

Anônimo disse... [Responder a Comentario]

Grande blog! Parabens...

BestOfFutebol disse... [Responder a Comentario]

Obrigado anónimo...

Sobre o jogo não há muito a dizer, um jogo que de espectacular apenas teve 3,5 coisas:

1ª - O show de ver um jogo onde a "relva" é "branca", penso que por não estarmos habituados, se torna engraçado, e mais para aqueles que se lembram de ter festejado o jogo com o peñarol

2ª - O espírito de Grupo de uma equipa que só este ano, já jogou em 2 estádios lastimáveis, Coimbra e este agora, e com mais ou menos dificuldade conseguiu ganhar.

3ª - O soberbo Ponta de Lança que o FCP tem, de seu nome falcao, que está sempre onde a bola está, quer esteja sol, chuva ou neve...

0.5ª - E por fim quero ressalvar aqui o ridículo comentador da Antena 1 que no 3 golo do falcao, ao invés de elogiar o avançado pelo seu 1º Hat Trick de falcao no FCP, diz o seguinte disparate: "Não consigo compreender o motivo para tantos festejos..." Penso que nem preciso dizer o que acho deste comentário... Enfim...

Postar um comentário

Gostou do que encontrou aqui?

Então agradecemos que comente este artigo que acabou de ler, a sua opinião é bastante importante para nós.
Nos comentários dos artigos escreva apenas o que for referente ao tema.